Voltar para a tela anterior.

Vereador Rafael Bueno critica declarações do general Mourão


Oficial declarou em Caxias do Sul que Brasil herdou "indolência" da cultura indígena e "malandragem" do africano


O vereador Rafael Bueno/PDT criticou na sessão de hoje (7) da Câmara Municipal a fala do candidato a vice-presidente da chapa de Jair Bolsonaro, general da reserva Antonio Hamilton Mourão, que participou da reunião-almoço nesta segunda-feira (6) na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul. Dirigindo-se ao vereador Edson da Rosa, Mourão declarou que o Brasil herdou "indolência" da cultura indígena e "malandragem" do africano. O parlamentar foi o único a se manifestar no Legislativo sobre o fato, que ganhou repercussão na imprensa local, estadual e nacional.

"Quando uma pessoa com função pública, que ocupou o Exército do Brasil, recebe dinheiro pago por mim, enquanto contribuinte, faz uma manifestação na minha cidade, a qual sou eleito, tenho que falar. Quando ele diz: 'Temos uma certa herança da indolência, que vem da cultura indígena. E depois: nada contra, viu, mas a malandragem é oriunda do africano. Esse é o nosso caldinho cultural.' Quando Mourão se refere à questão dos negros, colegas vereadores, reforça um preconceito que está no subconsciente da população", destacou Bueno, em plenário.

"Não entendi por que o meu colega Edson não se manifestou, porque era a hora de o vereador, o único parlamentar negro da história de Caxias do Sul, ter falado em nome da honra de todos os negros, aqueles que ainda sofrem, em Caxias do Sul, trabalho escravo, das crianças, daqueles jovens... Mais de 70% das pessoas que morrem assassinadas no Brasil, mais que em zonas de guerra, são negros, jovens, pobres e de periferia. As mulheres vítimas de violência são principalmente as negras. Isso só reforça o preconceito porque nós temos no país japoneses, chineses, americanos, mas quando se quer descaracterizar uma pessoa se usa como exemplo a África, porque a África é subordinada aos países que vão lá e buscam aquelas pessoas para a escravidão", seguiu Bueno.

Bueno disse ficar "muito triste" quando ouve um depoimento desses vindo de alguém que pode vir ocupar um cargo de vice-presidente da República. 

"É muito preocupante porque talvez essas pessoas podem ser as perseguidas no futuro governo, então eu deixo esse meu registro nos anais da Câmara, lamentando a postura de uma pessoa que ganha o meu salário, o salário de milhões de brasileiros".

07/08/2018 - 14:09
Gabinete do Vereador Rafael Bueno/PDT
Câmara Municipal de Caxias do Sul

As matérias publicadas neste espaço são de total responsabilidade dos gabinetes dos vereadores.

Ir para o topo