Voltar para a tela anterior.

Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente visita CAPS Mosaico

Vereadores ouviram corpo técnico e avaliaram informações a respeito da possibilidade de interrupção dos atendimentos


Os vereadores membros da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente realizaram visita institucional ao Centro de Atenção Psicossocial (Caps) Infantojuvenil Intersetorial Mosaico Aquarela, situado no bairro Cinquentenário. Eles conversaram com a coordenação e corpo técnico do serviço sobre as atividades exercidas no local e atual funcionamento em meio a pandemia. Os parlamentares também avaliaram o cenário institucional, em meio às denúncias sobre a possibilidade de interrupção dos atendimentos, a pedido da Fundação de Assistência Social de Caxias do Sul (FAS).

Conforme a coordenadora e psicóloga Viviane Suzin Savaris, o espaço tem grande importância na reabilitação psicossocial, tendo retorno positivo vindo das famílias atendidas. A união das professoras envolvidas permite esses resultados positivos, melhorando o desenvolvimento do diálogo das atividades. A coordenadora acredita que não é necessário uma desconstrução de um trabalho bem desenvolvido, pelo contrário, ele precisa ser ainda mais valorizado.

Presidente da Frente Parlamentar, o vereador Elisandro Fiuza/Republicanos se posicionou em nome da Frente se tornando parceiro nesta causa. Fiuza considerou nítido o envolvimento e vocação das profissionais envolvidas na entrega de suas atividades, buscando sempre eficiência junto às crianças e familiares. Já Denise Pessôa/PT avaliou que tudo que tange crianças e adolescentes não deve ser feito sem transição e de forma brusca, sem projeto ou justificativa de mudanças, principalmente em meio a essa situação de pandemia.

Também integrantes da Frente Parlamentar, os vereadores Alberto Meneguzzi/PSB, Paula Ioris/PSDB e Tatiane Frizzo/PSDB se posicionaram quanto a questão. Meneguzzi voltou a afirmar que os vereadores têm o direito de realizar visitas para compreenderem e fiscalizar os serviços municipais. Também valorizou a importância do trabalho da rede pública e se posicionou do lado das profissionais do CAPS, uma vez que considera os serviços prestados brilhantes, no que diz respeito ao conceito e retorno que têm tido. Paula pontuou que entende como falta de compreensão e planejamento a possibilidade de cancelamento das atividades, que precisam ser debatidas em conjunto com saúde e educação municipal para fortalecer o conceito interdisciplinar e multissetorial. Já Tatiane reforçou que precisa melhorar o diálogo e que é parceira na construção de um serviço ainda melhor.

O CAPS oferece espaço terapêutico para crianças e adolescentes com grave sofrimento psíquico, além de seus familiares, objetivando a redução dos sintomas, a fim de prevenir internações e promover a reinserção social. Também desenvolve atividades de matriciamento nos territórios de saúde. O acesso ocorre por demanda espontânea dos usuários e encaminhamentos da rede de saúde, assistência social, educação e outros. Atualmente, atende mais de 400 beneficiados e tem corpo técnico formado por psicólogas, psicopedagoga, atendimento educacional especializado, além de professoras de educação física e artes.

A Frente Parlamentar identificou grande ruído na comunicação entre esferas envolvidas e propôs reunião junto aos órgãos responsáveis para tratar com muita atenção essa possibilidade de cancelamento das atividades. O assunto foi debatido na Sessão Ordinária desta quinta-feira (02/07), tendo o requerimento 26/2020 aprovado por unanimidade, em regime de urgência. O documento é de autoria dos vereadores Denise Pessôa/PT, Alberto Meneguzzi/PSB e Elisandro Fiuza/Republicanos e solicita ao poder Executivo Municipal informações sobre possíveis mudanças no CAPS Intersetorial Infantojuvenil Mosaico Aquarela. A Prefeitura tem 30 dias para enviar as respostas ao Legislativo.

 

*Redação: Júlio Fernandes

03/07/2020 - 13:35
Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Caxias do Sul


Ir para o topo